O relógio que anda para trás


Há uma fábula, dentro da fábula que é a história de O Curioso Caso de Benjamin Button, que fala sobre um relojoeiro cego, que faz, sob encomenda, um gigantesco relógio para uma grande estação ferroviária. Mas no momento da inauguração, o relógio, ao ser acionado, começa a marcar o tempo para trás. A explicação dada pelo relojoeiro é apenas a primeira das inúmeras passagens poéticas deste filme, do diretor David Fincher. Como todos já sabem, protagonizado por Brad Pitt e Cate Blanchett. A fábula central do filme diz respeito a Benjamin Button, uma criança "nascida em circunstâncias incomuns", no fim da primeira grande guerra. Ele nasce velho e às portas da morte, com as doenças típicas de um homem velho, apesar do corpo de bebê. Tal como a lenda do relógio, a cada minuto ele rejuvenece, numa dramática inversão do ciclo da vida. Esta história, por si só admirável pela originalidade, é baseada em um conto do escritor F. Scott Fitzgerald, de 1922. Por mais estranho que esta premissa possa parecer, ela dá lugar a uma meditação sobre a mortalidade, a passagem do tempo (dos tempos) e o amor. Tente ignorar todas as indicações ao Oscar, os assombrosos (e críveis) efeitos especiais e assista ao filme como uma linda metáfora sobre a vida e o tempo que dispensamos ou não a ela, e o retorno que ela nos dá a partir disso. O Curioso Caso de Benjamin Button é um grande e imperdível filme. Para se ver mais de uma vez.

5 Response to "O relógio que anda para trás"

  1. Flávia Stefani Says:

    Cara, jura que você gostou? Pois eu achei uma chatice terrível. Achei que entre os dois da foto não havia química e no geral me pareceu um Forest Gump sei lá, 40 vezes pior. Não gostei mesmo.

  2. Heitor Says:

    ahaahahah, vive la différence, Flavinha...

    A história (original) é fantástica, a direção é sensível e extremamente cuidadosa. Não é o filme da minha vida, mas gostei sim. :))

  3. Denis Says:

    Quero ver! Será q no cinema de Auschwitz tá passando? O comentário que eu ouvi foi que o filme é mesmo uma mistura de Forrest Gump com Magnolia com Peixe Grande. Como os três são muy buenos...

  4. Heitor Says:

    ahahaah, Auschwitz?? Aproveite e liberta a pobre Anne Frank!!

  5. Denis Says:

    Olha, acho que nem ela aguentou (agora sem trema) e fugiu. mas de vez em quando volta pra visitar os pais, que nem eu!

    Mas tá passando sim, acabei de ver a programação do shopping Mueller!!! rs