Oceanos


Me dê outra chance. Eu sou o único que acha que eu não mereço. Mas assim mesmo eu peço. Me dê outra chance. Talvez não haja outra oportunidade. Quem sabe sumiremos para sempre um do alcance do outro. Quem sabe o mundo gire muito muito rápido e nos deixe perdidos e nos percamos de vista. Cada um num continente, com todos os oceanos a nos separar. Com tanta, tanta água, ainda maior do que a nossa capacidade de chorar. Aí será tarde. Pois só a proximidade vai nos manter. Só a distância vai nos deter. Sei que todos vão dizer que eu mereço. Mas não acredite em quem ama. Quem ama perde a capacidade do discernimento. E trai. A si mesmo. Pelo outro. Acredite apenas em mim, quando digo que não mereço. Mas ainda assim te peço outra chance. Não leve com você a atravessar todos estes mares, a mais remota hipótese de um talvez arrependimento. Pois ao desembarcar, do outro lado do mundo, você não suportaria olhar pra trás e ver todos os oceanos juntos. A nos separar. Por isso eu peço. Me dê outra chance.

4 Response to "Oceanos"

  1. Flávia Stefani Says:

    Maravilhoso.

  2. Heitor Says:

    ah, que saudades de vc aqui... \o/

  3. Antônio Moura Says:

    Essa me deixou arrepiado, meu brother!

  4. Flávia Stefani Says:

    Eu não deixo de vir. É que assino o RSS do seu blog ;) Mas tem uns textos que, meu, não dá para não comentar, né? Esse foi um. Muitos são um.