Aquele garoto

Sabe aquele garoto, que olha estático, a luz azul do poste, em meio a todos os neons dos puteiros à sua frente? Aquele que pára, na porta do puteiro, só pra isso. Pra olhar aquele azul. Aquele garoto, que fecha a janela do busão, naquela segunda-feira mais fria do ano, cortando a avenida mais imensa da cidade que ele acaba de conhecer. Aquele garoto, tímido, pequeno, que a cidade da maior avenida do mundo vai engolir. Sem cuspir. Aquele garoto que é capaz de não dormir. Aquele garoto que é incapaz de te deixar dormir. Aquele garoto. Aquele, que toda garota sonha encontar. Embora ela cruze com ele, na frente do puteiro, sente dois bancos à sua frente no busão, sem ser capaz de notá-lo. Porque ele é aquele garoto. Que ela quer muito encontar. Mas ela, diferente dele, não é capaz de perceber, estática, a luz azul do poste, em meio a todos os neons, de todas as cores, de todos os puteiros à sua frente.

1 Response to "Aquele garoto"

  1. méliss Says:

    Eu adoooro esse post

    adoro de um jeito que nem consigo falar nada, sabe?