O clone


Tô a fim de fazer um clone meu. Não deve ser coisa muito complexa hoje em dia. Talvez tivesse que esperar um pouco, mas nada que demorasse muito, pois tenho certa urgência. Tenho um amigo num laboratório da USP, que já incumbi de fazer umas pesquisas, tal. Entreguei a ele, num saquinho plástico, uma antiga tampa de canetas BIC, que durante muito tempo usei para limpar os ouvidos. Acredito que o objeto, depois de tanto tempo em contato com minhas secreções auditivas, seja o suficiente para um começo de tentativas, análises, estudos de seja lá o que for necessário para dar início ao projeto. O outro eu. No intuito de acrescentar algumas singelas alterações no dito cujo logo no início do processo, vou solicitá-las. Em se tratando de um projeto, que embora sendo uma cópia minha, pretende-se totalmente novo, nada mais justo do que pelo menos tentar essas pequenas alterações. Nada muito drástico e que fuja muito do original, afinal trata-se de um clone, e como tal, deve me substituir. Seriam duas pequenas alterações, só pra deixar o clone mais coerente e enxuto, se posso chamar assim. Ele poderia só ter o nariz um pouquinho menor e o pau um pouquinho maior que os originais. Claro, muito sutilmente, nada que destoasse visivelmente do seu original, no caso, eu. Tendo um clone à minha disposição, seria uma forma de dividir um pouco a sobrecarga de todas as atribuições que normalmente a vida me impõe. Claro, consciente das obrigações que me cumprem, não estou aqui querendo simplesmente me eximir delas. Apenas acho que seria uma forma de conseguir um pouco mais de descanso, e não me refiro apenas ao esgotamento físico, natural com o passar do tempo, mas talvez principalmente ao repouso e refazimento mental. Imagino que um outro eu, nas atuais circunstâncias, seria de extrema utilidade e só me traria alegrias. Principalmente se viesse com essas pequenas alterações que pretendo. Seria magnífico. Imagina, um outro eu, que seria muito mais útil e faria muito mais sucesso do que o original, modéstia a parte, já faz. Seria de extrema utilidade nos momentos, por exemplo, em que quero ficar preguiçosamente em casa à noite, simplesmente vendo TV, ouvindo música ou mesmo escrevendo. Esta cópia mais perfeita de mim mesmo sairia por mim nestas ocasiões. Poderia cumprir facilmente uma agenda social, visando claro, meus interesses, de quem mais? E nem poderiam, os mais conservadores e puristas, me acusarem de abuso de poder, ou escravidão, posto que ele mesmo seria um outro eu. E ele (ou eu) só teria vantagens. Além daquelas que já mencionei, ele aproveitaria todos os momentos de prazer que eu, por alguma razão, não estivesse disposto a desfrutar naquele momento. Ou tivesse coisa bem melhor a fazer, claro. Um clone só me traria vantagens. Além dos eventos sociais, ele poderia ir fazer um trabalho, por exemplo, enquanto eu ficasse em casa, executando outro. Poderia ir na academia por mim, num dia que eu quisesse ir à praia. Poderia ir ouvir o desabafo aquele amigo que me solicitasse algumas horas de atenção, enquanto eu ia tomar chopp com outro amigo e só falar merda, por exemplo. Claro que estes amigos não poderiam se falar depois, ou menos ainda, se telefonarem nestes momentos. Já pensou? Ambos dizendo estar comigo, em situações tão diferentes? São só vantagens. Só de pensar já torna mais firme a minha convicção de que um clone é tudo o que preciso neste momento. São muitas atribuições, solicitações e coisas que quero fazer e conquistar. E convenhamos, um outro, um pouquinho mais perfeito que eu, só teria a acrescentar nas minhas conquistas de vida.

4 Response to "O clone"

  1. mélis Says:

    esse tá tão gostoso de ler. adorei.
    sei lá, o 'eu-lírico'(hahaha) tá um simpático :)

  2. Aline Veingartner Says:

    "São muitas atribuições, solicitações e coisas que quero fazer e conquistar. E convenhamos, um outro, um pouquinho mais perfeito que eu, só teria a acrescentar nas minhas conquistas de vida."
    Faz sentido.
    Mas tem certos prazeres de que eu não abriria mão. A não ser que eu pudesse ter as mesmas sensações que o clone.
    Texto muito gostoso de ler mesmo. Te admiro :]

  3. Lana Says:

    Perfeito! Ele poderia ficar aí, enquanto vc vem aqui p/ matarmos a saudade de ti. :D

  4. Thunderstorms, dreams and conversations Says:

    Muitobom.