persona non grata

com aquele medo ridículo de quem vai tuitar bêbado. ou fazer confissões por e-mail para
Amsterdam, às 4 da manhã. com aquela sensação de ter sido enganado pela própria mãe. com a vontade de esmurrar a mesa daquele restaurante que jamais entraria, mas que se viu forçado a elogiar. com aquela cara que se faz ao dizer "sem camisinha não rola". com o aspecto de vencido ao fazer a matrícula na academia. com o desapego de se abraçar na esquina, sabendo que se vai embora. com o cheiro de quem ficou trancado em casa o dia inteiro, sem banho. e a constatação da mais profunda e patética saudade. porque ela não deveria ter vindo. inapropriada, ela não foi convidada, nem consta da lista dos vips.

1 Response to "persona non grata"

  1. Joana Carolina Vaz Vianna Says:

    Ácido... e sensacional.