13 Tzameti


“13 Tzameti” não passou nos cinemas brasileiros. Desconheço até seu lançamento em DVD. Mas uma cópia dele caiu nas minhas mãos no início deste ano, através de um colega de trabalho. Produção francesa de 2006, com direção primorosa do por aqui desconhecido Géla Babluani. Com referências claras ao mestre Hitchcock, “13 Tzameti” é inicialmente um drama leve que nos surpreende por, repentinamente se revelar extremamente doentio e tenso. Filmado em preto-e-branco, com trilha sonora quase inexistente, com exceção dos primeiros 30 minutos, a sua primeira metade quase se arrasta, com sequências calmas, atuações mornas e um tom de tranqüilidade, que quase nos faz “desistir” do filme. Mas tudo isso é necessário para a surpresa que virá depois, ao descobrirmos sobre o que realmente se trata esta trama tão bizarra quanto fascinante. O drama então cede lugar ao thriller psicológico, tipo de filme que me interessa muito. Falar sobre esta trama aqui é estragar completamente a experiência de assistir a um filme nada fácil, mas por isso mesmo, merecedor de admiração, na minha opinião. Não se trata aqui de um suspense hollywoodiano médio, com música dramática, correria e trama policial corriqueira. Longe disso. Géla Babluani é talentoso o suficiente pra manter seu suspense, mesmo quando tudo nos é revelado. E ele consegue, até o final, nos prender por completo nesta história absurda de total frieza em relação à vida humana. “13 Tzameti” é experiência obrigatória pros amantes do cinema e da qualidade que talvez só as produções européias sabem impôr. Observações finais: Gostaria imensamente de saber a opinião do grande Marcio Claesen sobre esta produção. Será que você já conhece? E o ator que interpreta o protagonista, Sébastien, é a cara do Chico Ribas. Aos dois amigos, minha dica de excelente cinema, que sei que vocês, tanto quanto eu, admiram.

2 Response to "13 Tzameti"

  1. digestao Says:

    Nossa, Heitor, agora vc me deixou intrigado.

    Nunca havia ouvido falar neste filme. E ele nem é tão alternativo assim. Dei uma busca e vi que ele passou numa mostra paralela em Veneza e em Sundance tb.

    Mas fiquei muuuito curioso.
    Essa cópia que caiu nas suas mãos ainda está contigo? Ou era artigo de colecionador? Ou vc havia conseguido através de favores excusos? rsrs

    Quero vê-lo e agora?

    Bjo.
    Márcio Claesen

  2. Heitor Says:

    E agora? Eu tenho, pega comigo!!